Assine nossa Newsletter

Cadastre-se para receber as últimas notícias do Museu.


Assine nossa Newsletter

Cadastre-se para receber as últimas notícias do Museu.


Museu

Museu 2021-10-20T12:12:28-03:00

Instalado no Forte das Cinco Pontas em 1982, o Museu da Cidade do Recife abriga acervo de documentos iconográficos de extrema importância para a preservação da história urbana, cultural e social do Recife. São mais de 250 mil imagens, 2.560 títulos, entre livros e revistas, 1.898 peças digitalizadas, incluindo mapas, plantas e projetos de arquitetura, 146 azulejos dos séculos XVII ao XIX, três portas e duas imagens de santos pertencentes à Igreja dos Martírios, que foi demolida para a abertura da Avenida Dantas Barreto. O Museu da Cidade do Recife é um espaço para visitação, pesquisa e realização de eventos e atividades culturais. Faz parte da Secretaria de Cultura da Prefeitura do Recife.”

MISSÃO
Construir possibilidades para a reflexão sobre a memória e os valores urbanos, visando o desenvolvimento do Recife.

VALORES
Preservação da memória e do patrimônio material e imaterial; educação patrimonial e comunicação do saber; pesquisa e produção de informação; gestão sustentável; parcerias estratégicas e qualidade do serviço prestado à população.

O FORTE DE SÃO TIAGO DAS CINCO PONTAS

O Forte das Cinco Pontas (“Vijfhoek”, pentágono em holandês) foi construído no Recife, em 1630, por ordem de Frederik Hendrik (1584-1647), Frederico Henrique de Nassau, irmão mais novo de Maurício de Nassau, Príncipe de Orange e Capitão General das cinco províncias, que, somadas a outras duas, formavam os Países Baixos.

O principal objetivo para a construção do Forte foi garantir a permanência do suprimento de água das cacimbas de Ambrósio Machado, localizadas no extremo Sul da Ilha de Antônio Vaz (hoje bairro de São José), e impedir a ação de piratas, que usavam uma falha nos arrecifes, conhecida como “Barreta dos Afogados”, para atacar e roubar barcos – a maior parte das embarcações transportava açúcar para o porto do Recife.

A fortaleza foi batizada com o nome do Príncipe de Orange (Frederik Hendrik), mas devido à forma pentagonal passou a ser denominada de Forte das Cinco Pontas. O nome permanece até nossos dias, mesmo após a reforma promovida pelos portugueses ainda no século XVII, quando foi transformada numa estrutura de quatro pontas.

O projeto de construção é atribuído ao engenheiro holandês Tobias Commersteijn e a direção das obras foi de Peter Van Buerer. Nesse período, sua estrutura era formada de madeira, terra batida e barro, e suas muralhas não passavam de 12 pés de altura (3,7 metros aproximadamente).

Em 1654, as forças de resistência comandadas por João Fernandes Viera, André Vidal de Negreiros, Felipe Camarão e Francisco Barreto de Menezes, venceram as forças flamengas e ocuparam o forte. Nesse período, foi iniciada a primeira grande reforma na edificação, reconstruída em pedra e cal e apenas com quatro pontas. A obra foi concluída em 1684 e rebatizada de Forte de São Tiago.

Com a expansão da cidade, a fortaleza perdeu seu sentido de defesa e passou a ter novos usos, dentre eles, durante os séculos XVIII e XIX, funcionou como depósito geral e prisão; no início do século XX, tornou-se quartel militar, sendo tombado como patrimônio nacional em 1938. Durante o final da década de 1970, sofreu outra grande reestruturação, desta vez para sediar as instalações do Museu da Cidade do Recife, que se encontra no local desde 1982.

Forte das Cinco Pontas s/n – CEP 50020-500, Bairro de São José, Recife/PE
Tel: +55 (81) 3134.3750
Email: educativomcr@gmail.com
Facebook: @MuseudaCidadedoRecife
Instagram: @museudacidadedorecife

Visitação: Terça a sexta, das 10h às 16h. Entrada gratuita. (Devido à pandemia, a visitação funciona em horário reduzido)